(1x03) Capítulo 3 – Os Quatro Sacerdotes

    Compartilhe
    avatar
    Hugo
    Aposentado

    Masculino Número de Mensagens : 377
    Idade : 23
    Localização : Guraujá - SP
    Pontos : 472
    Data de inscrição : 30/01/2009

    (1x03) Capítulo 3 – Os Quatro Sacerdotes

    Mensagem por Hugo em Sex 27 Nov 2009, 14:05

    Tomb Raider: A Herança dos Sacerdotes
    Escrito por Richard Bentham


    Parte 1 – O Retorno Ao Egito


    Capítulo 3 – Os Quatro Sacerdotes



    Lara e Alister, em pouco tempo, tornaram-se amigos, e não devido à história, pois apesar dos interesses na mesma área, se por um lado Lara gostava de desbravar e descobrir, Alister era cético quanto ao que ela acreditava. Lara convenceu-o a ir à mansão, pois começaria os preparativos para a aventura imediatamente e, como Alister fora quem havia lhe contado tudo, Lara gostaria de tê-lo nessa missão. Alister gostou muito da idéia. Os dois, de Oxford, voltaram para Surrey, chegando mais ou menos ao meio-dia.
    - Uau! – disse Alister perplexo – Que mansão incrível!
    - Isso é porque você ainda não viu a biblioteca – disse Lara, gabando-se.
    - Você tem uma biblioteca?
    - Claro que tenho.
    Alister olhou para Lara, encantado. Os dois entraram na mansão.
    - Alister – disse Lara, enquanto abria a porta da mansão - eu gostaria de lhe apresentar meu mordo...
    Lara abriu a porta e, na sala de visitas, encontrou Winston conversando com um homem que ela já conhecia: moreno e cabelo com dreads. Lara, apesar de surpresa, continuou:
    - Mordomo Winston e meu amigo Zip.
    - Ah, oi Lara! – disse Zip sem jeito – Winston me ligou e vim correndo pra cá.
    - Olá Zip, há quanto tempo, não? – disse Lara, cumprimentando-o – Zip, Winston, esse é Alister Fletcher, historiador que estava na escavação da Pirâmide de Quéfren, antes dela desabar.
    - Olá Alister – disse Zip.
    - Olá Zip – disse Alister.
    - Olá Alister – disse Winston.
    - Olá Winston – disse Alister.
    Após a desconcertante chuva de “olás”, seguiu-se silêncio. Lara, apesar de estranhar Winston por chamar Zip sem sua autorização, na verdade gostou do ocorrido, e ficara instantaneamente animada com a espécie de equipe que havia formado. Lara disse:
    - Certamente vou demorar para me acostumar com isso!

    Com a ajuda de todos, os preparativos para a missão terminaram em questão de horas. Enquanto a missão estivesse acontecendo, Lara preferiu que Alister e Zip morassem na mansão. Estes concordaram com isso. Chegou-se também ao consenso de que seria melhor se eles apenas acompanhassem Lara pela mansão, porque seria muito arriscado levá-los. Zip cuidou de todo os equipamentos novos, como lanterna, o comunicador de áudio e vídeo e outros. Alister apaixonou-se pela biblioteca, e lá ficava procurando todo tipo de informação que viesse a calhar. Finalmente chegou a hora de ir. Lara decidiu visitar os lugares onde os incidentes ocorreram. Procuraria saber mais sobre o “Pergaminho do Tempo”. Isso significa que começaria pelo Egito.
    - Mas você não vai procurar mais informações sobre o suspeito? – Perguntou Alister.
    - Sou uma arqueóloga, Alister, não Sherlock Holmes. Estou indo atrás do “Pergaminho do Tempo”.
    - Mas você tem certeza...
    - Chega de só informação Alister. Agora, eu quero prática. Ação. Você nem imagina o quanto foram agonizantes meus últimos meses.
    - O que aconteceu nesses últimos meses? – Perguntou Zip.
    - É melhor a senhorita ir, Lady Croft, ou perderá o avião. – interrompeu Winston.
    - Sim. Melhor eu ir. E contate meu piloto Winston, não vou ficar dependente de aeroportos.
    - Falou, Lara! – disse Zip.
    - Tchau, Lara! – disse Alister.
    Lara virou as costas e saiu pela porta da mansão. Alister e Zip observaram. A porta fechou, e os dois continuaram no mesmo lugar. Winston limpou a garganta, um pouco mais alto que o normal. Zip e Alister assustaram-se. O mordomo disse:
    - Ao trabalho.

    Lara achava a civilização egípcia interessante, mas depois de tudo que passou no país, esse lugar já não a fascinava mais, mesmo quando eventos novos ocorriam. Lara estava no avião, usando o laptop que Zip fizera questão que levasse. Pesquisou bastante sobre os dois incidentes: o do Egito e o do México. Descobriu que, na verdade, o grupo que estava na pirâmide não era um grupo de arqueólogos: era um grupo de indivíduos não autorizados que invadiram a pirâmide na surdina. A notícia real foi encoberta porque os responsáveis pela escavação não queriam admitir a falha na segurança. Também soube que as escavações da parte desmoronada estavam no fim, e que o corpo do quinto componente do grupo não havia sido encontrado. Pessoas começaram a morrer da doença misteriosa no Egito, bem como no México. As tempestades também continuavam em ambos os lugares. Lara, sem medo dos acontecimentos, desembarcou no Cairo no fim da tarde.

    A cidade estava completamente vazia e parcialmente destruída pelas tempestades, por isso foi fácil encontrar um hotel. Pegou um quarto no primeiro andar. Lara preparou-se para a missão. Assim que os preparativos terminassem, o plano era seguir para o deserto, invadir a pirâmide e entrar na área escavada. Lara tentou conectar-se com a mansão.
    - Zip? Fiz tudo o que você mandou. Está me escutando? A câmera funciona?
    - Tudo perfeito Lara! – disse Zip, animado.
    - Lara, tenho uma grande notícia para você: encontrei informações sobre o “Pergaminho do Tempo” na sua biblioteca, escondido dentro de um livro. Chamei o Winston para dar uma olhada e ele ficou boquiaberto. Quando perguntei por quê, ele disse que aquelas eram anotações de seu pai.
    - Como? – perguntou Lara, confusa.
    - Isso. Anotações de seu pai. Havia informações sobre lendas gregas, sobre o mito arturiano, lendas egípcias... foi aí que eu encontrei sobre o “Pergaminho do Tempo”.
    - E o que dizia...?
    Nesse momento, começaram a se ouvir gritos dos andares de baixo do hotel.
    - Mas o que...?
    Lara escutou tiros.
    - Lara, o que está havendo? perguntou Zip.
    - Não sei, mas é melhor eu sair daqui.
    Lara terminou de equipar-se e colocou a sua mochila nas costas.
    - E você vai sair pela porta da frente? - perguntou Alister.
    Lara sacou sua pistola.
    - Por que eu não sairia?
    Tum. Tentavam arrombar a porta de Lara. Tum. Lara pôs-se a postos. TUM! A porta foi derrubada violentamente. Lara atirou. O primeiro dos dois homens que entraram pela porta foi atingido na cabeça e caiu no chão. O segundo atirou contra Lara. Mas ela rolou no chão e correu. O mercenário continuava a atirar.
    - Brincando de pique - esconde, senhorita Croft?
    - Para o seu azar, não.
    Lara saiu de trás da parede e atirou várias vezes contra o homem. Este bateu na parede e escorregou até o chão, deixando uma enorme mancha de sangue. Porém, ainda estava vivo. Sorriu, e disse fracamente:
    - O meu serviço está acabado – e tirou uma granada do bolso. Armou-a.
    - LARA, SAIA JÁ DAÍ! – gritou Alister ao seu ouvido.
    O homem jogou a granada.
    Lara rapidamente virou-se e investiu contra a janela, a tempo de ouvir a granada encostar no chão.
    BUM!
    Lara foi repelida fortemente pela explosão, janela afora. Cacos de vidro voavam e dilaceravam sua pele.
    - YEAH! – disse Zip.
    - Não consigo mais olhar – disse Alister.
    - Lara, o gancho! – lembrou Zip.
    Havia uma construção, no outro lado na rua. Lara usou o gancho e prendeu-se em uma barra de metal, grudada à construção. Porém essa não agüentou seu peso e cedeu, fazendo com que Lara caísse em um monte de areia, que amorteceu a queda.
    - Lara, você está bem? – perguntou Alister.
    - Um pouco dolorida, mas sim, estou bem – respondeu Lara.
    - Ótimo.
    Lara saiu no monte de areia. Do outro lado da rua, o primeiro andar do prédio pegava fogo, e as chamas alastravam-se para todos os lados, intensificando o vermelho do pôr-do-sol do deserto. Na porta do hotel em chamas, um homem chamou:
    - Ei! Lara Croft!
    Lara olhou. O homem sacou uma arma e atirou várias vezes, porém Lara novamente jogou-se no chão, rolou e atirou de volta. O homem simplesmente entrou em um beco e desapareceu. Lara abaixou a arma, pensativa.
    - Como é que eles sabem o seu nome? Para quem eles trabalham? perguntou Zip.
    - Não faço a mínima idéia. Mas seja para quem for, essa pessoa com certeza acha que eu sou perigosa.
    - Acha? perguntou Zip, sarcástico.
    - Ei, Zip, o Alister ainda está aí?
    - Ele está, mas não pode falar. Ainda está recuperando o fôlego – zombou Zip.
    - Ha-ha. Muito engraçado Zip – disse Alister – Eu enfrento muito bem esse tipo de situação.
    - É, enfrenta... – disse Zip sarcástico – Como mesmo? Fechando os olhos?
    - Escuta aqui...
    - Garotos... – interrompeu Lara.
    - Desculpe – disseram Alister e Zip simultaneamente.
    - Alister – disse Lara - Você poderia continuar a me contar sobre o “Pergaminho do Tempo”?
    - Ah sim, claro Lara. Bom, segundo as anotações do seu pai, esse pergaminho foi criado pelos deuses egípcios, que o deram de presente ao faraó. Ele dava a quem o possuía vida eterna. O faraó o possuía, portanto, ele era imortal. Porém, outros três reinos que existiam na época ficaram com inveja e decretaram guerra ao Egito. Sob pressão, o faraó dividiu o pergaminho com esses três outros reinos, e assim surgiram os quatro reis imortais. Esses reis, com o poder da imortalidade, começaram a abusar do povo e não prestavam mais oferendas aos deuses. Os povos e os deuses desses reinos revoltaram-se. Foi aí que quatro sacerdotes, um de cada reino, em nome dos deuses, tomaram uma providência. Roubaram o pergaminho de seus respectivos reis e encerraram consigo em tumbas amaldiçoadas. Os herdeiros desses sacerdotes seriam os eternos guardadores da tumba e, se o pergaminho fosse roubado, todo o reino seria amaldiçoado.
    - Cara! Como você fala! – reclamou Zip, quebrando a história.
    Alister ignorou.
    - Bom, agora eu sei exatamente o que estou procurando – disse Lara – Quais são os outros três reinos, além do Egito?
    - Não consta – disse Alister – Tudo o que estava escrito, te relatei.
    - Com certeza, um dos reinos era no México, onde ocorreu o outro incidente. De quando data essa lenda.
    - Antes de 3500 a.C.
    -O incidente ocorreu na pirâmide asteca do Sol. Mas os Astecas nem existiam nessa época – disse Lara.
    - Bom, com certeza havia outro povo por lá.
    - Odeio história – disse Zip.
    - Cale a boca – mandou Alister – E então Lara, qual é o próximo passo?
    - O plano continua o mesmo: vou até a pirâmide de Quéfren.


    _________________

      Data/hora atual: Qui 21 Set 2017, 05:45